Pesquisar

Carregando...

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Crônica: Tutóia, o que faltas em ti...



Falar de ti Tutóia, é completamente fascinante, inspira poesia, um conto de paixão, de gratidão, de acolhimento, reconhecimento...

Mas nem tudo é poesia, e as ausências te deixam incompleta, que nos faz pensar que aquilo que poderia te fazer melhor é surreal, e até torna-se nos pensamentos de alguns, algo inimaginável.

Percorri todo teu espaço, conheci tua gente, tua diversidade, numa antropologia mais do que empírica, evidenciei que tu podes muito mais, pois tua gente tem potencial e teu espaço natural, borbulha características favoráveis para o que, o homem capitalista chama de desenvolvimento. Infelizmente, nas entranhas desse capitalismo, chamado um dia por um mestre como "Capitalismo Perverso", tu ainda se define como uma cidade com índices desfavoráveis ao teu progresso, sonhado e aclamado pelo teu povo.

Nas lembranças de outrora, tua simplicidade era sinônimo de um bem estar almejado por nossos avós, quanto mais pacato, melhor era para cultivar a vida. Você cresceu, de menina, tornou-se mulher, com charme, encantos, belezas reluzentes... e, como as mulheres do novo século, que tornaram-se independentes, estruturadas e libertas das amarras que as prendiam em um pequeno mundo restrito e sem perspectiva dessa liberdade, tu necessitas acompanhá-las no mesmo ritmo. Pois o tempo de nossos avós passou, e hoje, o tempo é o dos nossos netos...

Vejo tua juventude ainda órfão, daquilo que o tal sistema nos acostumou chamar de políticas públicas, de algo direcionado para eles que um dia serão teus adultos e utilizarão ferozmente a caneta que produzirá as novas linhas dos parágrafos de tua história; vejo tua educação com entraves seríssimos, e tomadas de decisões baseadas no gosto de quem nem a teve; vejo tua saúde visivelmente necessitando de ampliação; vejo tua cultura popular, pedindo urgentemente que algo seja feito para sua suma elevação e vejo também o que nos faz inspirar, teu conjunto de atrativos que a natureza desenhou, conhecido economicamente como turismo, reduzidamente aproveitado para compor o aglomerado de tudo que pode ser útil para que teu crescimento seja alicerçado com figas resistentes aos abalos vindouros que tu possas enfrentar.

É Tutóia, tu és apaixonante, mesmo te faltando algumas cores que são encaixes essenciais para a realeza do teu brilho. Teu povo é de fé, uma fé que os enchem de esperança, que nos motiva a acreditar que tu amadurecerá, e as ausências que te incompleta serão supridas e acrescentadas por quem hoje pode te desenhar...      



Por Neto Pimentel

Nenhum comentário:

Postar um comentário