Pesquisar

Carregando...

sexta-feira, 25 de julho de 2014

'Envolve muita dor', diz mãe de menina com doença rara no RS

Raissa Victória tem 4 anos e sofre de epidermólise bolhosa (Foto: Arquivo pessoal)
A menina Raissa Victória tem quatro anos e sofre de epidermólise bolhosa (Foto: Arquivo Pessoal)

Aos quatro anos de idade, a pequena Raissa Victória luta contra uma doença rara com a força de vontade de quem quer viver muito e bem. A menina mora em São Luiz Gonzaga, na Região Noroeste do Rio Grande do Sul, com os pais. É alegre e sorridente, mas convive diariamente com a dor. Desde que nasceu, a menina sofre de epidermólise bolhosa, uma doença rara que causa lesões pelo corpo e a proíbe de gestos simples, como receber um abraço dos pais.
“É preciso 24 horas de cuidado. Não pode infeccionar [as feridas], porque pode agravar ainda mais uma situação que já é grave. Têm dias melhores, outros nem tanto assim. No geral, é um processo que envolve muita dor”, afirma ao G1 a mãe de Raissa, Silcéia Santos de Oliveira, 34 anos.
A enfermidade é caracterizada por grande sensibilidade da pele. Devido à falta de adesão entre as células da epiderme, qualquer toque ou traumatismo – ainda que leve – pode levar à formação de bolhas e ao descolamento da pele. As feridas causam dor e sofrimento. A doença ainda não tem cura, mas existe a possibilidade de tratamento. Para isso, a família iniciou uma campanha para tentar arrecadar R$ 3,5 milhões.  
No ano passado, a doença tornou-se nacionalmente conhecida após um episódio polêmico envolvendo a família da coreógrafa Deborah Colker. Ela enfrentou transtornos e constrangimento para embarcar em um voo porque o neto, de três anos, tem a doença. A aeronave só decolou depois que um médico da Infraero atestou que epidermólise bolhosa não é contagiosa.
O pai de Raíssa, Jonas Siqueira da Silva, também de 34 anos, trabalha com vendas de produtos, como cosméticos. Ele dedica-se integralmente ao cotidiano da filha, que exige atenção e cuidados permanentes.
Doença causa bolhas e lesões a partir de um simples toque na pele (Foto: Arquivo pessoal)
Doença causa bolhas e lesões a partir de um
simples toque na pele (Foto: Arquivo Pessoal)
A menina ainda usa fraldas, porque ir ao banheiro é uma experiência dolorosa. Eventualmente sente desconforto para comer, já que a doença afeta também o esôfago, o que faz com que a paciente tenha dificuldade para engolir os alimentos. Além disso, a gaze comum não pode ser usada como curativo nas feridas, porque, ao ser removida, pode grudar e machucar ainda mais a pele. 
“Há pouco tempo ela caiu um tombo no chão, em uma brincadeira de criança. Não foi grave, mas ela ficou lesionada, ficou em carne viva, saiu toda a pele. É muito raro ela se bater em algo, por exemplo, e não se machucar”, descreve a mãe. Os ferimentos costumam aparecer no pescoço, pernas, braços, barriga e costas da menina.
Sem remédio para a doença, o importante é prevenir traumas. Mensalmente, a mãe leva a filha para consultas em Porto Alegre, a cerca de 500 quilômetros de casa. Com frequência, visita pediatras e um gastroenterologista. Há cerca de três meses, iniciou um tratamento psicológico. “Vou com ela a psicóloga uma vez por semana. Nem sempre dá para levá-la. Às vezes ela está ruinzinha, sem vontade. Mas tem sido bom”, conta a mãe.
Uma esperança é um tratamento experimental realizado pela Universidade de Minnesota, nos Estados Unidos. O procedimento estimula por meio de células-tronco a produção de colágeno, deficiente nos pacientes com a doença. No entanto, para viabilizar o tratamento, a família precisa reunir U$$ 1,5 milhão, valor que em moeda brasileira chega a cerca de R$ 3,5 milhões.
Raissa veste a camiseta da campanha 'Para Poder Abraçar' (Foto: Arquivo pessoal)
Raissa veste a camiseta da campanha 'Para Poder
Abraçar' (Foto: Arquivo Pessoal)
Apesar do alto custo, os pais têm muita esperança. Com apoio de amigos, decidiram criar uma campanha, com o foco na internet e nas redes sociais, nomeada de “Para Poder Abraçar”. Um vídeo produzido pelo grupo que auxilia o casal chegou a 43 mil visualizações no Youtube. A página no Facebook já ganhou mais de 36 mil curtidas.
No site (clique aqui), há informações de como ajudar a menina com doações ou com a compra de produtos. Camisetas e livros podem ser adquiridos por valores que variam entre R$ 25 e R$ 35. Os recursos serão revertidos para custear o tratamento médico da menina. “A gente ainda não tem metade do dinheiro. Estamos beirando os R$ 700 mil. A campanha deu uma parada por causa da Copa, mas agora estamos retomando. Seguimos com o mesmo objetivo e temos esperança”, revela a mulher.
Em breve, quando completar cinco anos, a menina deve começar a frequentar a escola. O objetivo dos pais é realizar a matrícula em um colégio particular de São Luiza Gonzaga. “Estou tentando uma bolsa de estudos. Provavelmente, será meio período. Ela é uma criança muito sociável e quer muito estudar”, diz a mãe.
Fonte: G1
   

Ministério da Saúde destina mais de R$ 2, 5 milhões para três municípios maranhenses, entre eles Paulino Neves!

                                   

O Ministério da Saúde destinou R$ 27,6 milhões para custeio das ações da área de Média e Alta Complexidade (MAC) de 53 cidades de 17 estados. O objetivo do reforço orçamentário é ampliar o atendimento prestado à população na rede pública e conveniada ao Sistema Único de Saúde (SUS). Os valores destinado pelo MS constam na Portaria Nº 1.508, de 18 de julho de 2014.
No Maranhão, três municípios tiveram recursos liberados para investimento na melhoria do atendimento da saúde, totalizando um repasse de mais de R$ 2.5 milhões. Caxias teve destinação de mais de R$ 1.2 milhões para cinco unidades. O município de Miranda do Norte teve mais de R$ 1.3 milhões e para o município de Paulino Neves, o Ministério da Saúde destinou R$ 90 mil.
Em Caxias, receberão recursos, as seguintes unidades de saúde: Policlínica PAM (R$ 300 mil), Maternidade Carmosina Coutinho (R$ 2.993 mil), Centro Especializado em Assistência Materno Infantil – CEAMI (R$ 400 mil), Hospital Geral de Caxias (R$ 200 mil) e Samu (R$ 300 mil).
Para Miranda do Norte, a Portaria do Ministério da Saúde, autoriza dois repasses para o Hospital Municipal Pedro Vera Cruz Bezerra no valor de R$ 803 mil e R$ 501.450 mil.
Já em Paulino Neves, o Centro de Saúde Santa Terezinha teve autorização de repasse de R$ 90 mil.
Ações
As ações do bloco de financiamento MAC incluem o pagamento de procedimentos como quimioterapia, financiamento de hospitais de pequeno porte, centros de especialidades odontológicas, laboratórios de prótese dentária, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192) e habilitação de leitos.
via O Imparcial

Lobão Filho candidato do grupo Sarney visitou Tutóia nesta quinta (24)

     

Sem tanta empolgação foi o resumo da vinda do candidato do grupo Sarney a cidade de Tutóia nesta quinta (24). A vinda do candidato de Roseana, foi um tanto quanto desorganizada, pois a população só ficou sabendo através dos blogs na noite de quarta, e de um carro de som que saiu pelas ruas horas antes do inicio da carreata. 

A carreata saiu da barragem e percorreu algumas ruas da cidade, mas sem a presença maciça da população, dos que dizem apoiar Lobão Filho, apenas o prefeito de Tutóia, Raimundo Baquil (Diringa), e o ex-prefeito Egidio Junior compareceram, os demais eram aliados do prefeito e seus correligionários.

Na hora do discurso do candidato, pouquíssimas pessoas estavam presente na praça para ouvi-lo, sendo que o mesmo discursou menos de 1 minuto e o seu candidato ao senado Gastão Vieira em torno de 2 minutos. Em seguida Lobão Filho e Gastão Vieira seguiram para a cidade de Araioses, aonde ainda tinham agenda para cumprir. 

Vejam algumas fotos repassadas pelo blog do Elivaldo Ramos:

Parada pra discurso na Praça Teremembés
Trio com Gastão Vieira, Diringa, Lobão Filho e Egidio Junior (ex-prefeito de Tutóia)
Muitos carros e pouca gente. Momento em que a carreata passou pela Avenida Paulino Neves
Helicóptero pousou na área de alagadice do antigo Aeroporto


quinta-feira, 24 de julho de 2014

Esposa de um jovem acidentado do povoado Bom Gosto pede ajuda para cirurgia. Vamos Ajudar!

Essa postagem foi publicada por várias pessoas na rede social e encaminhada a minha página:
Tenho notícias que dois jovens precisam efetuar uma cirurgia, devido ao um acidente de moto. E os hospitais públicos de Tutóia e Parnaíba não tem condições de fazer. Os mesmos foram indicados a hospitais particulares e a cirurgia custa em torno de R$ 4.000,00. Eles não tem esse dinheiro e estão desesperados e com muita dor.
Ajude entrando em contato com esse blog ou com a família.

João Paulo Costa da Paz , 27 anos mora, reside no povoado Bom Gosto, Rua São Jorge. Sofreu um acidente de moto e tem que operar. A operaçao custa em torno de 4 mil reais.

Ombro deslocado

Saiba quais são os dez concursos mais esperados este ano

                                  

Áreas judiciárias, segurança pública e carreira policial são destaques nos concursos públicos deste ano. Um dos concursos mais esperados, por exemplo, é o da Polícia Federal.
São 600 vagas para o cargo de agente. A remuneração inicial é de R$ 9.075,20, com jornada de 40 horas semanais.
Além disso, os servidores contam com melhorias durante a carreira. Já com o auxílio-alimentação, os novos valores passam a ser de R$ 9.505,61 na segunda classe, R$ 11.338,77 na primeira e R$ 14.129,63 na classe especial. A seleção deve abranger todos os estados. Porém, segundo responsáveis pela divisão de concursos, o edital deverá contar com algumas regiões consideradas prioritárias.
A expectativa é de que sejam mantidas as indicadas no último concurso, de 2012,que foram Acre, Amazonas, Amapá, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia e Roraima, informa o GranCursos.
Corpo de Bombeiros DF
De acordo com a autorização serão 620 vagas destinadas a soldados, 115 no curso de formação de oficiais e 44 oficiais-médicos e demais categorias do quadro (arquivista, assistentes sociais, biblioteconomistas, dentistas, engenheiros, psicólogos, entre outras). A corporação não divulgou as remunerações iniciais dos cargos, alegando que poderão passar por alterações até a publicação do edital. Porém, os interessados podem ter ao menos uma ideia por meio do concurso anterior para soldados, realizado em 2011. Na ocasião, o inicial era de R$ 3.413,62 na segunda classe, passando para R$ 4.464,11 na primeira. Tudo indica que o edital será divulgado até o mês de agosto.
Correios
Os Correios voltaram a afirmar que a realização do novo concurso da empresa prossegue em fase de planejamento, porém não há data prevista para a publicação do edital. É o que afirma a juíza da 15ª Vara do Trabalho de Brasília (DF), Audrey Choucair Vaz. “Temos recebido muitas ligações de pessoas questionando se esse processo impede a abertura de um novo concurso pelos Correios. Não há nada no processo nesse sentido”, afirmou.
A remuneração atual oferecida aos funcionários dos Correios, devido ao reajuste, é de 2.006,65 ou de R$ 1.893,50, sendo R$1.084,35 de vencimento, R$ 763,80 de vale-alimentação, para quem trabalha 27 dias por mês, ou de R$ 650,65, para 23 dias, e R$ 158,50 de vale-cesta básica. Para os graduados, os ganhos são de R$ 4.608,35 ou R$ 4.501,87 (o que depende do número de dias em atividade), sendo R$ 3.740,51 de vencimentos iniciais, já inclusos os auxílios.
Câmara Legislativa do DF
Após nove anos sem realizar concurso público – o último foi em 2005 – a Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) planeja abrir um processo seletivo. No momento, uma comissão está levantando dados para verificar o número de vagas que serão abertas e as carreiras a serem contempladas.
De acordo com a assessoria de imprensa, para o orçamento de 2014 foi aprovada a abertura de 40 postos, sendo 20 de nível médio e 20 com exigência de ensino superior. Porém, a seleção poderá ter outras oportunidades, já que só após o levantamento serão definidas as ofertas e os cargos.
Polícia Federal
São 600 vagas para o cargo de Agente. A remuneração inicial é de R$ 9.075,20, com jornada de 40 horas semanais. A seleção deve abranger todos os estados. Porém, segundo responsáveis pela divisão de concursos, o edital deverá contar com algumas regiões consideradas prioritárias. A expectativa é de que sejam mantidas as indicadas no último concurso, de 2012,que foram Acre, Amazonas, Amapá, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia e Roraima. Edital previsto ainda para o mês de julho.
Polícia Civil do DF
O concurso para o cargo de Delegado da Polícia Civil do Distrito Federal já foi autorizado. Serão 100 vagas imediatas mais 200 vagas para cadastro de reserva. A remuneração oferecida é de até R$ 13.368,68. Edital ainda no segundo semestre de 2014.
MTE
O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) já solicitou ao Ministério do Planejamento a autorização para a realização de seu concurso em 2015. A seleção será para o preenchimento de 800 vagas de auditor-fiscal do trabalho (nível superior). Atualmente, o processo que trata do pedido está no Departamento de Força de Trabalho da Secretaria de Gestão Pública do Planejamento.
Para concorrer ao posto de auditor-fiscal do trabalho será necessário diploma de graduação em qualquer área de atuação, devidamente registrado e fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação – MEC. Na atual tabela de remuneração dos servidores federais consta que o salário inicial para a colocação é de R$ 14.965,44.
INSS
De acordo com os deputados federais Amauri Teixeira (PT/BA) e Roberto Santiago (PSD/SP), o Instituto receberá nos próximos dias autorização para preencher 1.500 vagas de técnico do seguro social. O INSS, no entanto, solicitou a contratação de 2 mil profissionais para a carreira, que exige o nível médio. O cargo de técnico exige o nível médio e tem remuneração de R$4.400,87 (já contando com a gratificação de atividade Executiva e de desempenho de atividades do Seguro Social – 80 pontos).
Polícia Militar do DF
A oferta será de 204 vagas, sendo 51 imediatas e 153 para formar cadastro de reserva. Para o quadro de Oficiais Policiais Militares (QOPMC) serão 200, sendo 50 imediatas e 150 para formar cadastro de reserva de pessoal. Já no quadro de Oficiais Policiais Militares Capelães (QOPMC) a oferta será de uma vaga imediata e três para formar cadastro de reserva de pessoal.
Os aprovados no concurso ingressam no curso de formação de oficiais, com duração de dois anos. Inicialmente, como cadete, recebem remuneração de R$ 4,7 mil. Durante seis meses ocupam a posição de aspirante a oficial. O candidato deve concluir o curso com aproveitamento, ser declarado aspirante a oficial e aprovado no estágio probatório. Após o cumprimento dos requisitos de graduação será promovido a segundo tenente, com remuneração de aproximadamente R$ 9 mil.
Sesipe/DF
Foi autorizado no dia 8 de maio de 2014, o concurso para o cargo de Agente de Atividades Penitenciárias. A seleção é para o provimento de 200 vagas imediatas e mais 900 para o cadastro de reserva. Um total de 1.100 oportunidades! A remuneração inicial é de R$ 4.185, mas de acordo com a lei 5.182, de 20 de setembro de 2013, que reestrutura a tabela de vencimentos do cargo, os valores passarão a R$ 4.745 em 1 de setembro de 2014 e R$ 5.445 em 1 de setembro de 2015. A Sesipe tem até o dia 8 de novembro para publicar o edital de abertura de seu certame.
MPU
Está em fase de análise uma portaria que define as questões orçamentárias do próximo concurso público do Ministério Público da União (MPU). Para concorrer a técnico será necessário possuir ensino médio ou médio com formação técnica e para analistas, nível superior. Os vencimentos iniciais são de R$ 5.285,16 para técnicos e R$ 8.216,55 para analistas, já considerando o adicional de R$ 710 de auxílio alimentação. Edital ainda não saiu.
Do iDifusora

IDH: Brasil ocupa 79º lugar entre 187 nações

Agência Brasil
Agência Brasil

Estadão – O Brasil subiu uma colocação no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) 2013. O relatório, divulgado nesta quinta-feira, 24, pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), mostra o País em 79º lugar entre 187 nações. Com essa classificação, o Brasil continua sendo considerado como país de alto desenvolvimento humano.

Especialistas da ONU dizem que o avanço discreto do Brasil no ranking se deve à crise financeira internacional que começou em 2008, à desigualdade de renda e ao crescimento acelerado de países que só agora começaram a criar políticas de combate à extrema pobreza, como Ruanda. Além do Brasil, apenas 37 países alcançaram uma colocação melhor que no ano passado. No geral, o ranking do PNUD retrata um período de pouca mudança: 114 nações mantiveram posições conquistadas em 2012 e outras 35 tiveram desempenho pior.

O pequeno crescimento obtido pelo País, no entanto, se perde quando se faz uma análise de um período maior. O relatório mostra que no período entre 2008 e 2013 – período da crise financeira internacional -, o País caiu quatro posições. Dentre os países do BRICS, Brasil é o único que apresenta a queda. No mesmo período, a África do Sul subiu duas posições; Índia avançou uma, a Rússia manteve a colocação. Do grupo, a China foi a que mais cresceu, de acordo com o relatório: 10 posições.

“Não mergulhamos para saber o que fez o Brasil ter um desempenho pior dentro dos países do BRICs”, reconheceu a coordenadora do Atlas do Desenvolvimento Humano Brasileiro, Andrea Bolzon. Coincidência ou não, a partir de 2008 o Brasil só teve um crescimento melhor do que o apresentado pela Rússia no grupo dos BRICs. O relatório destaca apenas que a Rússia apresenta uma educação menos desigual. Para Andrea, o que mais torna mais lento o avanço do Brasil no índice é a desigualdade na renda.

Três quesitos. Desenvolvido há 24 anos pelo PNUD, o índice tem uma escala de 0 a 1. Quanto mais próxima de um, melhor a situação do país. O Brasil alcançou índice 0,744. Noruega, a primeira colocada, 0,944. O pior indicador foi do Níger: 0,337. As notas são dadas a partir da avaliação de três quesitos: saúde, educação e rendimento.

Para o coordenador do sistema das Nações Unidas no Brasil, Jorge Chediek, o fato de o Brasil ocupar apenas a 79° posição no ranking, atrás dos vizinhos Chile (41°), Argentina (49°), Uruguai (50°) e Venezuela (67°) é resultado de problemas históricos. “O passivo é enorme. Não podemos esquecer que o Brasil apresentou melhoras consistentes nos últimos 30 anos”, justificou. “Em 1980, a média de tempo de escola do brasileiro era a de 2,6 anos e a expectativa de vida, de 62,7 anos”, completou.

Educação. O que garantiu ao Brasil avançar um pouco a colocação no ranking , avaliou Chediek, foi a educação e, sobretudo, a mudança na metodologia usada para fazer o cálculo dos indicadores. A partir de agora, a expectativa de anos estudados – uma espécie de expectativa de vida escolar – tem peso semelhante a outro indicador, a de anos estudados. A alteração é uma antiga reivindicação de países, sobretudo o Brasil, que reclamavam que o indicador estampava condições ofertadas para alunos no passado e não condições atuais.

O relatório deste ano mostra que uma criança no Brasil tem expectativa de estudar 15,2 anos, a melhor entre os países do BRICs. Rússia, a segunda colocada nesse quesito entre o grupo, traz uma expectativa de anos escolar de 14 anos. O Brasil perde, no entanto, na comparação com vizinhos Argentina e Uruguai. A esperança é a de que as crianças argentinas que iniciam agora os estudos terminem o ciclo dentro de 16,4 anos e as uruguaias, 15,5 anos. O melhor desempenho entre os países analisados é o da Austrália. Crianças australianas têm expectativa de estudar 19,9 anos.

Expectativa de vida. O Brasil se destaca entre países do BRICs, também, na expectativa de vida ao nascer: 73,9 anos. A segunda maior do grupo. Em primeiro lugar vem a China, com 75,3. No entanto, a marca é inferior à apresentada pela Bósnia (76,4 anos), Argentina (76,3 anos) e Uruguai (77,2 anos.) “Os números brasileiros não são melhores por causa dos altos índices de homicídios e acidentes de trânsito”, disse Chediek.

Quando se analisa os números totais, Brasil é o segundo colocado entre os BRICs. Em primeiro lugar vem a Rússia, que ocupa o 57º. Depois do Brasil no ranking geral vem a China, na 91º colocação. África do Sul ocupa o 118º lugar e a Índia, o 135°.
                                 

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Morre o escritor Ariano Suassuna. Um tesouro do acervo cultural e literário brasileiro.

Escritor de 87 anos estava internado no Real Hospital Português, em Recife, desde a noite de segunda

Morre o escritor Ariano Suassuna  Matheus Beck/Agencia RBS
Suassuna sofreu AVC hemorrágicoFoto: Matheus Beck / Agencia RBS
O escritor Ariano Suassuna morreu nesta quarta-feira. A informação é do Real Hospital Português, de Recife, onde o escritor estava internado desde a noite de segunda-feira. De acordo com a nota de falecimento, Suassuna teve uma parada cardíaca provocada pela hipertensão intracraniana.

A morte de Ariano Suassuna, aos 87 anos, no Recife, priva a sociedade brasileira de um personagem ao mesmo tempo singular e polêmico: escritor, teórico, homem de um nacionalismo apaixonado e de uma aversão epidérmica às influências estrangeiras na cultura nacional. Um escritor de grande ambição artística e de fina e metódica construção literária. E um professor/palestrante tão entusiasmado e hábil em tecer causos que bem poderia ser chamado de "showman" – se esse termo tão estrangeiro não fosse, com certeza, desagradar o próprio Ariano, que certa vez disse, textualmente, em Porto Alegre:
– Para mim essa coisa de Xô era a palavra que a gente usava para espantar galinha.

Pode-se dizer que Ariano Suassuna foi um escritor que teve sua vida – e sua obra, em consequência – drasticamente transformada pela História do Brasil. Ele nasceu em 16 de junho 1927, em Nossa Senhora das Neves, o nome de então da capital da Paraíba, quando seu pai, João Suassuna, era presidente do Estado. Três anos depois, já fora do governo, João foi morto durante as tensões políticas que se seguiram ao assassinato de seu sucessor João Pessoa, em 3 de outubro. O crime, passional, foi usado como estopim político para deflagrar a revolução que levaria Getúlio Vargas ao poder. Por boatos de seu suposto envolvimento na morte de João Pessoa, João Suassuna, de uma fação política oposta à de João Pessoa, foi assassinado no dia 9 de outubro de 1930, no Rio.

Com a morte do patriarca, a família Suassuna se mudou para Taperoá, no Sertão dos Cariris paraibano, em 1933. Ali, o menino Ariano teve contato pela primeira vez com as manifestações tradicionais nordestinas (como cantadores, autos e violeiros) que seriam um dos eixos estruturantes de toda sua obra. Na adolescência, Ariano mudou-se para Recife, capital de Pernambuco, onde completou os estudos secundários e começou a estudar direito. Também foi ali que começou a participar dos primeiros encontros com os círculos artísticos locais. Sua primeira obra, a tragédia Uma Mulher Vestida de Sol, veio a público em 1947, quando o então jovem escritor contava 20 anos. Na peça, já despontavam os elementos que dariam coesão à obra de Suassuna pelas décadas seguintes: o casamento de referências da cultura erudita com as manifestações populares (o romanceiro nordestino, no caso de Uma Mulher Vestida de Sol).

Suassuna alcançou a consagração em 1955, com a estreia de O Auto da Compadecida, até hoje sua obra mais conhecida. A peça recebeu o prêmio da Associação Brasileira de Críticos de Teatro naquele ano e se tornou um dos espetáculos mais populares do teatro nacional – foi adaptado para o cinema com sucesso em duas ocasiões, com os Trapalhões interpretando a peça, em 1987, com direção de Roberto Farias, e em 1999, dirigida por Guel Arraes primeiro como minissérie para a TV Globo e, no ano seguinte, lançada como longa-metragem nos cinemas. Com o sucesso da peça e a publicação, em 1956, de seu primeiro romance, A História de Amor de Fernando e Isaura, Suassuna abandona de vez a carreira de advogado para assumir a cátedra de Estética na Universidade Federal de Pernambuco.
Suassuna a partir daí começa a alternar um ativo papel como agitador da cultura nordestina, em paralelo com sua produção ficcional. Em 1959, funda, com o romancista e dramaturgo Hermilo Borba Filho, o Teatro Popular do Nordeste, embrião do que viria a ser, em 1970, o Movimento Armorial, também capitaneado por ele. A proposta estética do Movimento Armorial era a de revisitar símbolos, sons, manifestações artísticas apropriados pela cultura popular brasileira, mas que remontam à cultura barroca ibérica. O objetivo era criar uma "forma de arte erudita baseada nas raízes populares da cultura brasileira".

Trabalhando na teoria e na prática, Suassuna apresentou, no ano seguinte, em 1971, seu grande Romance da Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai e Volta. O romance é vagamente inspirado em uma guerrilha sebastianista que se autoproclamou "reino independente" na primeira metade do século 19, na região de Pedra Bonita, na divisa entre Pernambuco e Paraíba. O episódio histórico é apenas o pretexto para uma delirante conjunção de arte universal e popular, bebendo na fonte do cordel, de romances policiais baratos, das lendas da Távola Redonda, do Quixote de Cervantes. Aprisionado por um crime, o narrador Dom Pedro Dinis Quaderna narra sua história até ali e as desventuras de sua família, na qual avulta a figura mítica do "rei castanho" – uma forma de Suassuna expressar na ficção o trauma de vida inteira da ausência do próprio pai.

Além de escritor, Suassuna esteve três vezes à frente de secretarias estaduais em Pernambuco. Foi Secretário de Educação e Cultura de 1975 a 1978; e de Cultura entre 1995 e 1998 (no governo Miguel Arraes) e assessor especial do governo de Eduardo Campos a partir de 2007. Foi eleito em 1989 para a cadeira de nº 32 da Academia Brasileira de Letras, na sucessão de Genolino Amado. O patrono da cátedra é Araújo Porto Alegre.


Ao longo das últimos três décadas, Suassuna esteve dedicado à redação de um romance que, de passagem pela Jornada de Literatura de Passo Fundo, em 2005, definiu como a expressão total de seus interesses artísticos. Um livro que pretendia juntar gravura, cordel, teatro, poesia, prosa, repente, para contar a história da formação do povo brasileiro por quatro pontos de vista alegóricos: o de personagens que representam etnias fundamentais da nação. São eles um português, um índio, um negro e um semítico, referência às populações árabes e judaicas que tiveram grande influência na cultura nordestina. Uma obra de proporções monumentais que ele chamava, por isso mesmo, de "o livrão". Em março deste ano, Suassuna anunciou que um episódio desse grande livro seria publicado como uma obra autônoma, O Jumento Sedutor, um texto que transplanta A Metamorfose de Lúcio, de Apuleio, para o Nordeste.


com informações Zero Hora